Alinhamento do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE) à Estratégia Nacional de Defesa (END)

Autores

  • Alessandro Sorgini D’Amato Comando da Aeronáutica, Estado-Maior da Aeronaútica - EMAER

Palavras-chave:

Objetivos estratégicos, Sistemas espaciais, Planejamento estratégico, Alinhamento

Resumo

Esta pesquisa teve o objetivo de analisar em que medida o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE) influencia o cumprimento do objetivo estratégico a prioridade da vigilância aérea, estabelecido para a Força Aérea Brasileira (FAB) na Estratégia Nacional de Defesa (END). Em função das características de ambos os documentos, a fundamentação teórica foi baseada, principalmente, nos princípios de planejamento estratégico. A teoria Value Focused Thinking (VFT) e as técnicas da análise de conteúdo forneceram suporte para a coleta e a estruturação dos dados. Inicialmente, a metodologia consistiu de uma pesquisa documental a fim de definir o conceito de vigilância aérea. Em seguida, foi construída uma hierarquia de objetivos composta pelo objetivo estratégico da END e por objetivos intermediários. A medição da contribuição do PESE para o cumprimento dos objetivos intermediários foi obtida aplicando-se os princípios da VFT. Por fim, essas medidas foram integradas a fim de identificar a contribuição do PESE para o objetivo estratégico da END, resultando em um índice de valor de 0,567. Os dados foram interpretados e analisados à luz dos princípios de planejamento estratégico e concluiuse que as principais contribuições do PESE são relacionadas ao fortalecimento da indústria nacional, ao monitoramento de áreas de interesse a partir do espaço e à operação em rede entre as Forças Armadas (FA). Por outro lado, o PESE contribui pouco para os temas relacionados à obtenção de acesso ao espaço e à integração das atividades espaciais às operações da FAB, por meio do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA)

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011. BRASIL. Comando da Aeronáutica. Comissão de Coordenação e Implantação de Sistemas Espaciais. Análise de Viabilidade de Empreendimento de Grande Porte do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais. Rio de Janeiro, RJ: 2012a.

______. Comando da Aeronáutica. ComandoGeral do Pessoal. Portaria COMGEP nº 1444/DLE, de 24 de julho de 2014. Aprova a 1ª modificação da NSCA 5-1 “Confecção, Controle e Numeração de Publicações Oficiais do Comando da Aeronáutica”. Boletim do Comando da Aeronáutica. Brasília, DF, n. 144, f. 6444, 04 ago. 2014.

______. Comando da Aeronáutica. Estado-Maior da Aeronáutica. Portaria EMAER nº 31/3SC3, de 31 de agosto de 2012b. Aprova a Edição do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE). Boletim do Comando da Aeronáutica. Brasília, DF, n. 175, f. 6719, 12 set. 2012.

______. Decreto nº 6703, de 18 de dezembro de 2008. Aprova a Estratégia Nacional de Defesa, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2008.

______. Decreto Legislativo nº 373, de 25 de setembro de 2013. Aprova a Política Nacional de Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional, encaminhados ao Congresso Nacional pela Mensagem nº 83, de 2012 (Mensagem nº 323, de 17 de julho de 2012, na origem). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2013.

______. Ministério da Defesa. Comando da Aeronáutica. Aviso Interno nº 4/GC3, de 02 de abril de 2015. Divulga a Diretriz de Comando do Comandante da Aeronáutica. Boletim do Comando da Aeronáutica. Brasília, DF, n. 066, f. 2796, 09 abr. 2015.

______. Ministério da Defesa. Gabinete do Ministro. Diretriz Ministerial nº 14, de 09 de novembro de 2009. Integração e Coordenação dos Setores Estratégicos da Defesa. Brasília, DF, 14 set. 2009.

BRYSON, J. M. Strategic planning for public and nonprofit organizations: a guide to strengthening and sustaining organizational achievement. 4th ed. San Francisco: Jossey-Bass, 2011.

CLEMEN, R. T.; REILLY, T. Making hard decisions with decision tools suite update. Pacific Grove, CA: Cengage Learning, 2004.

DRUCKER, P. F. Management: tasks, responsibilities, practices. New York: Truman Talley Books/E.P. Dutton, 1986.

FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE. Estratégias e planos. São Paulo: Fundação Nacional da Qualidade, 2008. (Série Cadernos de Excelência, 2).

KAPLAN, R.; NORTON, D. Alinhamento. Rio de Janeiro: Elsevier Acadêmico, 2006.

______. The strategy-focused organization: how balanced scorecard companies thrive in the new business environment. Boston, Massachusetts: Harvard Business Review Press, 2001.

KEENEY, R. L. Value-Focused Thinking. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1992.

______; RAIFFA, H. Decisions with multiple objectives: preferences and value tradeoffs. New York: John Wiley & Sons, 1976.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2010.

PARNELL, G. S. Value Focused Thinking. In: LOERCH, A. G. (Ed.); RAINEY, L. B. (Ed.). Methods for conducting military operational analysis. [S.I.]: Military Operations Research Society, 2007. p. 619-665.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos (Guia PMBOK). 5 ed. Newtown Square, Pennsylvania: Project Management Institute, 2013.

UNITED STATES OF AMERICA. United States General Accounting Office. Content Analysis: a methodology for structuring and analyzing written material. Washington D.C.:1996. Disponível em: Acesso em: 22 jun. 2015.

WEBER, R. P. Basic content analysis. 2nd ed. Newbury Park, Calif.: SAGE Publications, Inc, 1990.

Publicado

2017-12-04

Como Citar

D’Amato, A. S. (2017). Alinhamento do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE) à Estratégia Nacional de Defesa (END). Revista Da UNIFA, 30(2). Recuperado de https://revistaeletronica.fab.mil.br/index.php/reunifa/article/view/484

Edição

Seção

Artigos Originais