[1]
G. F. Alvarenga, “LESÕES CERVICAIS NÃO CARIOSAS E HIPERSENSIBILIDADE DA DENTINA”, Rev Odontol Haco, vol. 1, nº 002, p. 47-54, set. 2020.