O Grupo de Esquadrilhas de Aviação do Rio Grande do Sul

da necessidade de criação às causas de extinção

Autores

  • Fábio César Santos de Assunção Centro de Aviação do Exército (CAVEX)

Resumo

O presente estudo pretende, no ano em que comemoramos o bicentenário de independência do Brasil, assinalar o centenário de criação do Grupo de Esquadrilhas de Aviação do Rio Grande do Sul, trazendo a lume fatos ocorridos há 100 anos atrás, quando o Exército Brasileiro inserido em um amplo programa de modernização, adotou medidas que levaram a expansão de sua incipiente Aviação Militar para fora da Capital Federal. O distanciamento em relação a década dos anos 1920, nos permite através de um resgate histórico, analisar questões relacionadas à segurança nacional que levaram à criação do Grupo de Esquadrilhas de Aviação do Rio Grande do Sul, buscar explicações quanto aos motivos de sua efêmera existência e extinção, assim como analisar as suas contribuições em prol da defesa do território brasileiro e do desenvolvimento aeronáutico do País.

Referências

AVELLANEDA, A. Hacia el gobierno de sí mismos. Formas de problematización de la vida militar entre 1880 y 1930. 2017. Tese (Doctorado en Ciencia Política) – Escuela de Política y Gobierno, Universidad Nacional de San Martín, Argentina, 2017. Disponível em: https://ri.conicet.gov.ar/bitstream/handle/11336/78763/ CONICET_Digital_Nro.a46028a1-147d-4d1b-8d50- be9907ec563c_A.pdf?sequence=2&isAllowed=y. Acesso em 25 abr. 2022.

BELLINTANI, A. L. O Exército Brasileiro e a Missão Militar Francesa: instrução, doutrina, organização, modernidade e profissionalismo (1920- 1940). 2009. 2 v. Tese (Doutorado em História) – Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

BRASIL. Comando da Aeronáutica. Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica. História Geral da Aeronáutica Brasileira: de 1921 às vésperas da criação do ministério da aeronáutica. Belo Horizonte: Editora Itatiaia; Rio de Janeiro: INCAER, 1988. (História geral da Aeronáutica Brasileira, v. 2).

Brasil. Decreto n° 14.121-A, de 31 de março de 1920. Aprova o Regulamento para a Escola de Aviação Militar. [S. l.: s. n.], 1920. (Coleções de Leis do Brasil). p. 909. Disponível em: https://www2.leg. br/legin/fed/decret/1920-1929/decreto-14121-a-31- marco-1920-517732-publicacaooriginal-157837-pe. html. Acesso em: 25 abr. 2022.

Brasil. Decreto n° 15.233, de 31 de dezembro de 1921. Approva o regulamento do Departamento do Pessoal da Guerra. [S. l.: s. n.], 1921. (Coleções de Leis do Brasil). p. 439.

Brasil. Exército. Estado-Maior do Exército. Regulamento para os Exercícios e o Combate da Aviação. Rio de Janeiro: Imprensa Militar. 1927.

CABEDA, C. P. A Aviação Militar no Rio Grande do Sul em 1926. Revista A Defesa Nacional, n. 745, set./out., 1989. Disponível em: http://www. ebrevistas.eb.mil.br/ADN/article/view/5514/4759. Acesso em: 25 abr. 2022.

CIDADE, F. P. Síntese de três séculos de literatura militar brasileira. Rio de Janeiro: Editora Biblioteca do Exército, 1998.

DARÓZ, C. R. C. Um céu cinzento: a história da aviação na Revolução de 1932. Recife: Editora Universitária da Universidade Federal de Pernambuco, 2013.

LAVENÈRE-WANDERLEY, N. F. História da Força Aérea Brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Gráfica Brasileira Ltda, 1975.

MCCANN, F. D. A Nação Armada: ensaios sobre a história do Exército Brasileiro. Recife: Guararapes, 1982.

MCCANN, F. D. Soldados da Pátria: história do Exército Brasileiro (1889-1937). Rio de Janeiro: Editora Biblioteca do Exército, 2009.

O RIO Grande do Sul vai ser a base de três esquadrilhas de aviação. A Federação, Porto Alegre, 21 mar. 1921. p. 1.

REVISTA DA AERONÁUTICA. Rio de Janeiro: Clube da Aeronáutica, ano 12, n. 57, jul./ago., 1969. Disponível em: http://www.caer.org.br/ downloads/revistas/Revista57/Revista57.pdf. Acesso em: 25 abr. 2022.

SILVA, M. H. de O. C. da. A Influência da Missão Militar Francesa na ESAO. 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências Militares) – Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, Exército, 2016. Disponível em: http://bdex. eb.mil.br/jspui/bitstream/123456789/3622/1/ ART_COUTINHO_ESAO.pdf. Acesso em: 25 abr. 2022.

TRIPULADO pelo Coronel Alzir Mendes Rodrigues de Lima e pelo Capitão Haroldo Borges Leitão, um aparelho Moth, quando voava de Rezende para o Rio, caiu em Itaguahy. Diário da Noite, Rio de Janeiro, 28 set. 1932. p. 1.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Edição

Seção

Artigos Originais