Terceira Era Espacial: Brasil e as barreiras tecnológicas

Autores

  • Vanessa Redel Dal-Berto Departamento de Ciências Políticas e Relações Internacionais, Universidade Nova de Lisboa, FCSH, Lisboa, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.22480/revunifa.2024.37.535

Palavras-chave:

Brasil, Poder Aeroespacial, barreiras tecnológicas, Era Espacial

Resumo

A terceira Era Espacial representa um importante movimento dos atores internacionais em direção às operações espaço siderais no século XXI. Possuir artefatos em órbitas, como os satélites, é um importante exemplo de como é possível obter ganhos estratégicos perante o sistema internacional. Diante desse cenário, o artigo visa discutir os impactos que as barreiras tecnológicas podem implicar no Brasil e como a ausência dessas tecnologias sensíveis freiam seu desenvolvimento tecnológico e suas políticas espaciais. O Brasil foi um dos primeiros Estados sul-americanos a desenvolver operações espaciais, entretanto, nas últimas décadas, sobre com o atraso científico e técnico da sua indústria aeroespacial.

Biografia do Autor

Vanessa Redel Dal-Berto, Departamento de Ciências Políticas e Relações Internacionais, Universidade Nova de Lisboa, FCSH, Lisboa, Portugal

Formada em Relações Internacionais com Bolsa do Governo Federal do Brasil, intitulado de Programa Universidade para Todos (PROUNI) pelo Centro Universitário Ritter dos Reis, em 2018. Foi Estudante Voluntária de Extensão do projeto Clínica de Direitos Humanos (Uniritter — BR) durante os anos da graduação (2015 — 2016) em projeto sobre demarcação de Terras Indígenas. Recebeu em 2018, o prêmio de destaque pela apresentação do trabalho “A Importância do Programa Espacial Brasileiro e os Impactos para a Defesa Nacional no Século XXI” (LEDS-Uniritter). Em 2019 foi premiada pelo Ministério de Defesa do Brasil, no IV Concurso de Monografias de Defesa Nacional pela elaboração da dissertação de conclusão de graduação — A Importância do Programa Espacial Brasileiro e os Impactos para a Defesa Nacional no Século XXI. Recebeu o título de mestre em Ciências Políticas e Relações Internacionais pela Universidade Nova de Lisboa (FCSH) em 2023. Ainda em 2023, foi premiada com a bolsa de estudos on-line da Business for All da Harvard Business School Publishing. Hoje, suas áreas de pesquisa englobam defesa e segurança regional da América do Sul e Brasil em contexto de poder espacial.

Referências

AEB. Agência Espacial Brasileira. Brasil. AEB mostra valores e oportunidades do mercado espacial. 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mcti/pt-br/acompanhe-o-mcti/noticias/2020/10/mncti-aeb-mostra-valores-e-oportunidades-do-mercado-espacial. Acesso em: 04 dez. 2022.

AEB. Agência Espacial Brasileira. Brasil. Pedidos de Patente de Tecnologias Relativas ao Setor Aeroespacial: Panorama do Cenário Brasileiro e Potenciais Contribuições ao Programa Ártemis. 2022. Disponível em: https://www.gov.br/inpi/pt-br/uso-estrategico-da-pi/estudos-e-informacao-tecnologica/RADAR25_setor_aeroespacial.pdf. Acesso em: 01 dez. 2022.

AEB. Agência Espacial Brasileira. Brasil. Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação da Agência Espacial Brasileira. 2021. Disponível em: https://www.gov.br/aeb/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/documentos-e-politicas/Plano_Diretor_de_Tecnologia_da_Informacao_e_Comunicacoes___PDTIC_2020_2021.pdf. Acesso em: 26 fev. 2023.

AEB. Agência Espacial Brasileira. Brasil. Programa Espacial Brasileiro e investimentos. 2018. Disponível em: http://www.aeb.gov.br/programa-espacialbrasileiro/investimentos. Acesso em: 04 abr. 2023.

ALMEIDA, Alessandro Anibal Martins; SANO, Hironobu. Fatores que influenciaram as condutas dos pregoeiros do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI). 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rap/a/jXbbQgh39yqszs5QdMBrQqG/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 19 fev. 2023.

AMIN, Mario Miguel. A Amazônia na geopolítica mundial dos recursos estratégicos do século XXI. 2015. Disponível em: https://rccs.revues.org/5993. Acesso em: 15 fev. 2023.

ANDRADE, Israel de Oliveira; ROCHA, Antônio Jorge Ramalho; FRANCO, Luiz Gustavo Aversa. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasil. Sistema de gerenciamento da Amazônia Azul: soberania, vigilância e defesa das águas jurisdicionais brasileiras. 2019. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_2452.pdf. Acesso em: 24 fev. 2023.

BALTAZAR, Ana Rita Duarte. A disputa do Espaço pela Europa: Um novo desafio. 2009. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/62685615.pdf. Acesso em: 14 jan. 2023.

BALTAZAR, Ana. Metamorfoses da violência: A militarização do espaço. 2014. https://repositorio.ual.pt/bitstream/11144/2901/1/3.32_AnaBaltazar_MilitarizacaoEspaco.pdf. Acesso em: 07 dez. 2022.

BAYLIS, John; SMITH, Steve; OWENS, Patricia. The Globalization of World Politics: An Introduction to International. Reino Unido: Oxford University Press, 2014.

BRASIL. Agência Espacial Brasileira. Relatório de Gestão 2020. 2021. Disponível em: https://www.gov.br/aeb/pt-br/acesso-a-informacao/transparencia-e-prestacao-de-contas/2020/relatoria_de_gestao_versao_final.pdf. Acesso em: 20 fev. 2023.

BRASIL. Câmara dos Deputados. A Política Espacial Brasileira. 2010. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/a-camara/estruturaadm/altosestudos/arquivos/politica-espacial/a-politica-espacial-brasileira. Acesso em: 15 fev. 2023.

BRASIL. Exército Brasileiro. Conheça o SISCOMIS. 2020. Disponível em: https://12ciacoml.eb.mil.br/index.php/fale-conosco/57-secao-de-informatica/158-conheca-o-siscomis. Acesso em: 28 abr. 2023.

BRASIL. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O Centro de Lançamento de Alcântara: abertura para o mercado internacional de satélites e salvaguardas para a soberania nacional. 2018. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8897/1/td_2423.pdf. Acesso em: 20 fev. 2023.

BRASIL. Ministério da Defesa. Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas completa 3 anos no espaço. 2020a. Disponível em: https://www.fab.mil.br/noticias/mostra/35703/ESPA%C3%87O%20-%20Sat%C3%A9lite%20Geoestacion%C3%A1rio%20de%20Defesa%20e%20Comunica%C3%A7%C3%B5es%20Estrat%C3%A9gicas%20completa%203%20anos%20no%20espa%C3%A7o. Acesso em: 15 dez. 2022.

BRASIL. PNAE. Programa Nacional De Atividades Espaciais 2012 – 2021. 2012. Disponível em: https://www.gov.br/aeb/pt-br/programa-espacial-brasileiro/politica-organizacoes-programa-e-projetos/copy2_of_PNAEPortugues_aeb.pdf. Acesso em: 26 fev. 2023.

BRITES, Pedro; PIAMOLINI, Alexandre; ROSA, Aléxia Araújo da; FALCADI, Domênica; CHAGAS, Gabriela Ferreira; JUNQUEIRA, Valentina Brocker. O Programa Espacial Brasileiro e os Impactos para a Defesa Nacional no Século XXI. 2016. Disponível em: https://www.gov.br/defesa/pt-br/arquivos/ensino_e_pesquisa/defesa_academia/cadn/artigos/XIII_cadn/o_programa_espacial_brasileiro_e_os_impactos_para_a_defesa_nacional.pdf. Acesso em: 20 nov. 2022.

CEPIK, Marco. Espaço e Relações Internacionais. 2015. Disponível em: https://professor.ufrgs.br/marcocepik/files/cepik_et_al_-_2015_-_curso_espaco_ri_caderno_estudos.pdf. Acesso em: 23 nov. 2022.

CEPIK, Marco; MACHADO, Felipe. Comando do Espaço na Grande Estratégia Chinesa: Implicações para a Ordem Internacional Contemporânea. 2011. Disponível em: https://cartainternacional.abri.org.br/Carta/article/view/42/26. Acesso em: 18 jan. 2023.

DOLMAN, E. Astropolitik: Classical Geopolitcs in the Space Age. New York: Routledge, 2002.

EURODEFENSE. Uma Política Espacial para a Defesa Europeia. 2020. Disponível em: https://eurodefense.pt/wp-content/uploads/2020/08/GTE5-ED-Ass_Politica_Espacial.pdf. Acesso em: 17 jan. 2023.

FORÇA AÉREA BRASILEIRA. FAB. SISDABRA - Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro. 2006. Disponível em: https://freepages.rootsweb.com/~otranto/military/fab/defesa_aeroespacial.htm. Acesso em: 30 abr. 2023.

INCAER. Instituto Histórico-cultural da Aeronáutica. Linces: olhando além do horizonte. 2017. Disponível em: https://www2.fab.mil.br/incaer/images/eventgallery/instituto/Opusculos/Textos/opusculo_linces.pdf. Acesso em: 15 abr. 2023.

JESUS, Samuel. SIVAM: os militares e a Amazônia. 2013. Disponível em: https://www.academia.edu/26774656/livro_SIVAM_os_militares_e_a_Amaz%C3%B4nia. Acesso em: 23 fev. 2023.

KLEIN, John J. Space Warfare – Strategy, Principles and Policy. New York: Routledge, 2006.

LISBOA, Igor Deodoro Sousa. Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFROM). 2020. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/209934. Acesso em: 10 mar. 2023.

LONGO, Wladimir Pirró; MOREIRA, William de Sousa. O acesso a "tecnologias sensíveis". 2009. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/669. Acesso em: 28 jan. 2023.

PEREIRA, Roger. Marinha do Brasil. Brasil. O que é a Amazônia Azul e por que o Brasil quer se tornar potência militar no Atlântico. 2019. Disponível em: https://www.marinha.mil.br/economia-azul/noticias/o-que-%C3%A9-amaz%C3%B4nia-azul-e-por-que-o-brasil-quer-se-tornar-pot%C3%AAncia-militar-no-atl%C3%A2ntico. Acesso em: 16 fev. 2023.

PNAE. Agência Espacial Brasileira. Brasil. Programa Nacional de Atividades Espaciais. 2022. Disponível em: https://www.gov.br/aeb/pt-br/programa-espacial-brasileiro/politica-organizacoes-programa-e-projetos/programa-nacional-de-atividades-espaciais. Acesso em: 02 jan. 2023.

RODRIGUES, Ricardo. Brasil. Vigilância de Fronteiras. 2011. Disponível em: http://www.senado.leg.br/comissoes/cre/ap/AP20111025_Ricardo_Rodrigues.pdf. Acesso em: 23 fev. 2023.

ROSENTAL, Simon. Tecnologias Sensíveis. 2008. Disponível em: https://revista.esg.br/index.php/revistadaesg/article/view/280/250. Acesso em: 28 jan. 2023.

SILVA, L. O. M; MENEZES, M. J. P. Projeto Sipam como Sistema de Informação. 2008. Disponível em: http://repositorio.febab.org.br/files/original/30/4327/SNBU2008_176.pdf. Acesso em: 23 fev. 2023.

SIQUEIRA, Leandro. Procedências espaço-siderais das sociedades de controle: deslocamentos para a órbita. 2012. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/ecopolitica/article/view/11386/8299. Acesso em: 20 nov. 2022.

VAIANO, Bruno. Super Interessante. Além da Nasa e da ESA, que outras agências espaciais existem?. 2019. Disponível em: https://super.abril.com.br/coluna/oraculo/alem-da-nasa-e-da-esa-que-outras-agencias-espaciais-existem/. Acesso em: 15 mar. 2023.

WALTZ, Kenneth. Structural Realism after the Cold War. 2000. Disponivel em: http://www.columbia.edu/itc/sipa/U6800/readings-sm/Waltz_Structural%20Realism.pdf. Acesso em: 23 jan. 2023.

Wood, D. e Weigel, A. 2012. Charting the evolution of satellite programs in developing countries: the space technology ladder. Space Policy 28 (janeiro): 15-24. Doi:10.1016/j.spacepol.2011.11.001.

Downloads

Publicado

2024-02-01

Como Citar

DAL-BERTO, V. R. Terceira Era Espacial: Brasil e as barreiras tecnológicas. Revista da UNIFA, Rio de Janeiro, v. 37, p. 1–16, 2024. DOI: 10.22480/revunifa.2024.37.535. Disponível em: https://revistaeletronica.fab.mil.br/index.php/reunifa/article/view/535. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Opinião