AS VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE AERONAVE REMOTAMENTE PILOTADA NAS MEDIDAS DE APOIO À GUERRA ELETRÔNICA

Autores

  • Evandro Simões
  • Glaucio Lima
  • André Curityba
  • Fernanda Rocha

Palavras-chave:

Drone. Guerra Eletrônica. MAGE. RPAS.

Resumo

O presente trabalho foi elaborado tendo como objetivo identificar as vantagens e desvantagens da utilização, no âmbito do Comando da Aeronáutica, de Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPAS) nas Medidas de Apoio à Guerra Eletrônica (MAGE). O desempenho dessa atividade na FAB acarreta na utilização de aeronaves tripuladas com um alto custo aos cofres públicos. Além dos custos, a utilização de aeronaves tripuladas neste tipo de atividade expõe a tripulação a risco. Diante da carência de pesquisas avançadas sobre o tema no Brasil, buscou-se o embasamento teórico em publicações internacionais. Foi ainda realizada uma comparação entre o HERMES 900 e o Bandeirante Patrulha P-95M, que são plataformas utilizadas pelo Brasil em atividades de guerra eletrônica, por meio de levantamento bibliográfico, análise documental e pesquisa de campo aplicada na forma de questionário. Do ponto de vista econômico, preocupou-se em verificar, especificamente, a economia de recursos proporcionada com a utilização do RPAS, se comparado ao método tradicionalmente utilizado. Ainda que os resultados obtidos a partir deste estudo não esgotem a temática, eles podem conduzir a futuras investigações na área. Além disso, eles possibilitam averiguar as vantagens na utilização do RPAS no teatro de operações da guerra eletrônica e auxiliam o entendimento do leitor acerca da importância do tema.

Publicado

2020-10-23

Edição

Seção

Artigos